Bem-vindos, amigos e clientes!

Este blog será nosso espaço, onde apresentarei o meu trabalho desenvolvido no espaço oracular. Falarei das cartas, da numerologia da quiroanálise mítica do seu mapa astral.

Periodicamente, apresentarei textos sobre a cartomancia, assunto sério e controverso. No meu espaço oracular, abordo alguns tipos específicos de tarôs e técnicas de leitura que numa jogada – diante do consulente e diante de uma aura de energia que envolvem as cartas – trago respostas, aponto, antecipo alguns fatos.

A carta é um arcano, um arquétipo e encerra nela mesma um conjunto de símbolos. Símbolos que nos revelam aquilo que está oculto. Costumo dizer que a compreensão dos símbolos e dos mitos que nos rodeiam aponta para o que somos e também revela acontecimentos durante nossa caminhada.

Exemplos: você é um número tal ao nascer no dia 28 ou no dia 10. Seu nome também possui uma vibração numérica. Ao nascer num determinado momento há uma constelação planetária que o espera e também o recebe. Os elementos água, ar, terra e fogo são constituintes de nós.

Não há magia e nem mágica, nem bem nem mal diante de um oráculo. Os símbolos são sagrados. E é exatamente por isso que funcionam. Há 22 anos ponho as cartas. Quando  comecei, criei um cartão de visitas que dizia: “Saiba mais sobre você” e, logo abaixo, um verso de Goethe: “O vencedor tem plena consciência do seu poder pessoal.”

Saber-se símbolo, bem como a compreensão desta verdade, propicia ao indivíduo uma melhor audição sobre si mesmo e uma melhor postura diante das vitórias ou derrotas num determinado momento da caminhada. Saber-se símbolo é sair do estado louco arquetípico e caminhar já num estado mago, na compreensão do agir, da iniciativa. Num estado do louco há medo, inseguranças, falta de foco. Num estado mago há foco, há o entender a vida, como é denominado o seu arcano 10, “A roda da fortuna”:  é entender os altos e baixos, a impermanência e o movimento inerentes à própria vida.